'Tiro, porrada e bomba', na Vila do Cruzeiro - Baixada Viva Notícias

Responsivo após foto post

'Tiro, porrada e bomba', na Vila do Cruzeiro

Compartilhe


Um policial militar foi baleado na perna durante um tiroteio, na manhã deste domingo, na Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha, Zona Norte do Rio. 


O confronto ocorreu horas depois de quatro pessoas ficarem feridas durante uma operação policial no Complexo da Penha. 

Segundo a página Onde Tem Tiroteio-RJ (OTT), houve tiros, por volta das 8h15, nas localidades da Terrinha, Rua da Macumba, Rua da Cobra, Maragogi e outros pontos, devido a uma operação policial.



A Polícia Militar informou que uma guarnição em patrulhamento na comunidade foi atacada por criminosos. "Houve confronto e um policial foi atingido na perna", segundo a corporação. 

O agente foi encaminhado ao Hospital Getúlio Vargas, na Penha, e o seu estado de saúde e estável. Ainda segundo a PM, a situação está estabilizada no momento.

No início da noite deste sábado, uma operação policial no Complexo da Penha terminou com pelo menos quatro moradores feridos. 

Com foco em acabar com o "Baile da Gaiola", baile funk realizado na Vila Cruzeiro, a ação do Comando de Operações Especiais (COE) contou com policiais do Bope, do Batalhão de Choque e das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). 



As vítimas também foram encaminhadas para o Hospital Getúlio Vargas.
Vítimas foram levadas para Hospital estadual Getúlio Vargas, na Penha

De acordo com relatos de moradores, os policiais chegaram atirando na estrutura do baile funk que estava sendo montada, incluindo uma tenda de circo e as caixas de som. 



Durante o confronto com traficantes, dois moradores foram baleados em vias diferentes da comunidade. Uma outra vítima que estava fora da comunidade, na Avenida Brás de Pina,

José Nogueira da Silva Pinto, de 70 anos, levou um tiro no ombro. Ele está em acompanhamento da ortopedia e da cirurgia geral. Seu estado de saúde é estável. Antônio Gonçalves de Oliveira, de 56 anos, foi baleado no braço e perdeu muito sangue. 


Ele está lúcido e com estado de saúde estável, segundo a Secretaria estadual de Saúde. Vânia Cristina Macedo, de 63 anos, levou um tiro de fuzil no dedo, foi atendida e recebeu alta. Uma quarta vítima levou um tiro de raspão e não ficou internada.


Via Extra

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responsivo final texto

Pages