Mulher manda matar namorado PM após saber que ele tinha caso com a filha dela - Baixada Viva Notícias

Responsivo após foto post

Mulher manda matar namorado PM após saber que ele tinha caso com a filha dela

Compartilhe

Larissa Marques, 22 anos, e Jaciane Maria, 40, confessaram o crime na delegacia - Reprodução/ Facebook


Mãe e filha foram presas na tarde de terça-feira suspeitas de participação na morte de um policial militar.


Jaciane Maria, de 40 anos, namorava Elias Matias Ribeiro, de 49 anos, há cinco meses. O delegado responsável pelo caso, Fernando Bravo, disse que as duas confessaram o crime passional.

"A mãe esclareceu em depoimento que durante o relacionamento, Elias passou a sair com a filha mais nova dela, de 20 anos. Ela viu um vídeo sexual dos dois e combinou com o tio de matar a vítima. 

O vídeo foi visto inicialmente pela filha mais velha, que mostrou o conteúdo à mãe", explicou o titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) em entrevista à EPTV.


O corpo do cabo da PM foi encontrado na madrugada de terça carbonizado em um carro na beira de uma estrada. Vigilantes de uma linha de trem viram o veículo pegando fogo e chamaram a polícia. 

O veículo e a arma encontrados eram do cabo, que era motorista do comandante do Batalhão. Faltava um mês para ele ir para a reserva. 

O comandante foi ao local e reconheceu o corpo carbonizado. "Além da estrutura corporal dele, que era uma pessoa grande, de quase 1,90 de altura, ele tinha o hábito de usar uma corrente, uma pulseira, que estava no punho dele", disse o tenente coronel .


Cabo da PM Elias Matias Ribeiro estava a um mês de ir para a reserva - Reprodução/ EPTV

Mãe e filha disseram que houve a participação de uma terceira pessoa no crime, o tio da mulher de 40 anos. 

Segundo elas relataram ao delegado, o crime foi planejado. O cabo dormiu na casa de Jaciane e por volta das 5h da manhã o tio chegou e matou Elias a marretadas. 


O corpo dele foi colocado no carro e levado para a estrada que liga Araraquara a Américo Brasiliense.

As duas mulheres tiveram a prisão preventiva solicitada pela polícia e aguardam posicionamento da Justiça. Elas são conhecidas na cidade por terem trabalhado em um posto de combustível. 

Elas serão indiciadas por homicídio qualificado, por motivo fútil, recurso que impediu a defesa da vítima e destruição do corpo.

Carro foi encontrado na madrugada de terça por vigilantes da via férrea - Reprodução/ EPTV

O caso aconteceu em Araraquara, interior de SP. 



Via Meia Hora

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responsivo final texto

Pages