'Morreu nos braços do avô', lamenta tia de jovem jogador morto no RJ - Baixada Viva Notícias

Responsivo após foto post

'Morreu nos braços do avô', lamenta tia de jovem jogador morto no RJ

Compartilhe
Dyogo Xavier em campo: jovem tinha uma vida inteira pela frente - Arquivo Pessoal


Parentes do jogador de futebol Dyogo Xavier Coutinho, de 16 anos, estão inconsoláveis pela morte do jovem atleta do América. 


A família de Dondom, como era conhecido entre amigos, acusa policiais militares de terem atirado nele durante uma operação na comunidade da Grota, em São Francisco, em Niterói.Eles esperam que os responsáveis pelo crime sejam punidos.

"Não sei se ele foi confundido, porque não tem como confundir um menino tão saudável com uma chuteira na mão", critica Marli Correa, 64, tia de Dyogo. 


"Ele ia jogar bola diversas vezes por semana no Rio. Estava passando tranquilamente para pegar o ônibus na Estrada da Cachoeira quando foi pego de forma absurda, sem profissionalismo (por parte dos policiais) e de forma absurda".

Familiares dizem que o jogador foi morto à queima-roupa. A tia comentou que o avô, por quem o rapaz foi criado e que trabalha como motorista, estava passando pelo local quando viu o neto caído no chão.

"Foi um absurdo, um excesso de um policial que não abordou, que chegou e foi tratando com abuso, de forma absurda", Marli desabafa. 


"Inclusive, ele morreu nos braços do avô, que estava passando a 15 metros, quando parou e viu o neto, que tinha acabado de ser atingido à queima-roupa". As informações são do Meia Hora.

Logo depois da morte de Dyogo, moradores da Grota ocuparam ruas do entorno da comunidade. 

Eles colocaram fogo em pelo menos um ônibus e incendiaram várias barricadas no meio da pista.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responsivo final texto

Pages