Diarista confessa que matou idosa após ver extrato bancário de R$ 60 mil - Baixada Viva Notícias

Responsivo após foto post

Diarista confessa que matou idosa após ver extrato bancário de R$ 60 mil

Compartilhe
Liduina Maria Júnior Rios, de 60 anos, era servidora pública aposentada da Assembleia Legislativa do Ceará. - Reprodução/Facebook




A servidora pública aposentada da Assembleia Legislativa do Ceará, Liduina Maria Júnior Rios, de 60 anos, foi assassinada a facadas pela diarista. 


O crime aconteceu após a empregada ter acesso a um extrato bancário de R$ 60 mil na última quarta-feira (27). O corpo da vítima foi encontrado pelo filho.

A Polícia Civil alega que o crime teria sido arquitetado pela diarista, identificada como Maria Aparecida Pereira do Nascimento, de 30 anos, uma semana antes do assassinato. 

O dinheiro seria usado para que ela fugisse para o Rio Grande do Sul, segundo a polícia.

Em depoimento, ela contou que outras duas mulheres ajudaram a executar o crime: a companheira e mais uma amiga. 

O trio tentou dopar Liduina com remédios triturados dentro de um suco. Mas a vítima se recusou a tomar. 

Em seguida, as três obrigaram a servidora pública a engolir os comprimidos. 


Enquanto dormia, a doméstica e as comparsas tiveram acesso à conta bancária.

Ao se dar conta de que restavam apenas mil reais dos R$ 60 mil vistos anteriormente na conta, a diarista decidiu matar a patroa. 

O corpo de Liduina foi encontrado pelo filho horas após o crime, amordaçado, amarrado e com duas lesões de faca no pescoço.

A diarista havia sido contratada há pouco tempo. 

Como não havia sinais de arrombamento na cena do crime, os familiares desconfiaram desde o início que a diarista pudesse ter envolvimento, segundo o R7.

A polícia também descobriu que outros clientes de Maria Aparecida relataram que pertences sumiram das residências após a diárias realizar prestações de serviço.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responsivo final texto

Pages