Rafinha Bastos é processado pelo 'Doutor Renato Aragão' após treta nas redes sociais - Baixada Viva Notícias

Responsivo após foto post

Rafinha Bastos é processado pelo 'Doutor Renato Aragão' após treta nas redes sociais

Compartilhe



O polêmico humorista Rafinha Bastos virou alvo de confusão, mais uma vez, após ser processado por Renato Aragão, mais conhecido nas redes sociais como 'Doutor Renato', conforme ele mesmo declarou em um stand up realizado em São Paulo. 

Aproveitando o episódio para fazer piada, tirou sarro mais uma vez de Didi, eterno personagem dos Trapalhões.

Embora o caso esteja sendo mantido como segredo de Justiça, o humorista, com o seu tom desaforado de sempre, não perdeu a oportunidade para fazer piada. 

“O que aconteceu foi que eu sacaneei o Instagram dele e ele não gostou. Não sou o Criança Esperança, mas eu fiz o Didi chorar”, ironizou o ex-apresentador da Band.


Por meio do Twitter, o humorista aparece debochando da imagem de Renato Aragão, após assistir um vídeo em que ele veste roupas descoladas, dançando animado com o som de uma música rap ao fundo, ritmo considerado moderno. 

“Enquanto você curte a vida, Renato Aragão (vulgo Didi Mocó) está num cativeiro em Atibaia, sendo torturado e obrigado a participar de vídeos bizarros que têm a sua monetização controlada pelo crime organizado”, ironizou Rafinha Bastos.

Apesar do caso tramitar em segredo de Justiça e ciente de que poderia ser responsabilizado por falar abertamente sobre o proesso, o polêmico humorista parece não ter se importado. 


Ele chegou a comemorar ironicamente a conquista de mais um processo em sua carreira, e ainda associou Didi a um outro caso.


“Quer meu dinheiro, Didi? Vai buscar com a Wanessa Camargo”, disse Rafinha Bastos, em alusão à condenação sofrida quando apresentava o CQC (Custe o Que Custar), na TV Bandeirantes, tendo que pagar uma indenização de R$ 300 mil para a cantora na época.



Enquanto vc curte a vida, Renato Aragão (vulgo Didi Mocó) está num cativeiro em Atibaia sendo torturado e obrigado a participar de vídeos bizarros que tem a sua monetização controlada pelo crime organizado.


273 pessoas estão falando sobre isso



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responsivo final texto

Pages