Depoimento do coveiro brasileiro que enterra vítimas do coronavírus - Baixada Viva Notícias

Responsivo após foto post

Depoimento do coveiro brasileiro que enterra vítimas do coronavírus

Compartilhe



Neste domingo, 5 de abril, o site da Folha de São Paulo deu com destaque o relato de um coveiro da maior cidade do país. 

Ele tem sido responsável pelos enterros de diversas vítimas da Covid-19 em São Paulo que, até o momento, é a região com mais casos do Brasil e também na quantia de mortos. 


O profissional não teve o nome identificado, mas revela que enterrar pessoas com o vírus dá um medo tão denso, que esse pode ser pego na mão. 

“Eu não faço oração nenhuma, não sei se vou sair, ou se vou ficar infectado. Eu não sei. Não penso em nada”, disse o coveiro, que todos os dias diz acordar às sete da manhã para começar mais um dia de trabalho. 


Por conta do risco de contaminação, profissionais trabalham com um aparato especial. 

De qualquer forma, em alguns cemitérios, áreas apenas para as possíveis vítimas do coronavírus foram reservadas e até covas abertas. 

A capa do jornal americano The Washington Post, por exemplo, mostrou centenas de covas abertas em um dos cemitérios paulistanos, apenas aguardando as possíveis vítimas da doença. 

“Um coveiro não precisa só de EPI, precisa de auxílio psicológico também. Tem gente que fica neurótico, não quer voltar para casa. 

Tem medo de ter pego o vírus, não quer passar o vírus”. lamentou o profissional que enterra vítimas todos os dias. 
Números no Brasil não param de subir; no mundo são quase 70 mil mortes

O coronavírus tem feito com que muita gente mude os hábitos. Aqui no Brasil, já são 11 mil pessoas com a Covid-19 confirmadas. Os mortos já são quase 500. 

 Já no mundo, são 1,2 milhão de infectados e quase 70 mil vítimas perdidas.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responsivo final texto

Pages