Ex-sogra de Flordelis, mãe do pastor Anderson do Carmo morre de infarto - Baixada Viva Notícias

Responsivo após foto post

Ex-sogra de Flordelis, mãe do pastor Anderson do Carmo morre de infarto

Compartilhe



Nove meses depois do assassinato do pastor Anderson do Carmo, em Niterói, a mãe dele, Maria Edna do Carmo, de 65 anos, faleceu após um infarto, em decorrência de complicações da diabetes, na madrugada desta quarta-feira, 8, em São Miguel Paulista, no interior de São Paulo. 

A ex-sogra da deputada federal Flordelis dos Santos de Souza (PSD) teve um pico elevado de glicose e chegou a ser levada a um hospital da região, mas não resistiu por volta das 2h.


Em uma postagem feita pelo neto adotivo, Misael dos Santos, em uma rede social, ele comenta sobre a perda da avó e o fato de ela ter enterrado dois filhos em apenas cinco meses. 

Michele do Carmo, filha mais nova, faleceu em dezembro, cinco meses após Anderson do Carmo ser assassinado na sua casa em Pendotiba, bairro de Niterói, em julho de 2019.

"Em sua vida contrariamente à ordem natural, ela enterrou dois filhos em um curto espaço de tempo. E hoje, pouco mais de nove meses após enterrar o primeiro filho morto e ver sua diabetes descontrolar em virtude da dor, ela não suportou e nos deixou durante a madrugada, após sofrer um elevado pico de glicose", escreveu Misael no Facebook.


Neto adotivo de dona Maria do Carmo confirmou a morte da mãe do pastor Anderson pelas redes sociais Foto: Reprodução / Facebook


Advogado que defendia a família de Anderson do Carmo no caso, Angelo Maximo afirmou que Maria do Carmo sofreu um princípio de infarto em fevereiro. No entanto, ela se recuperou.

— Esses nove meses e 22 dias de impunidade serviram para matar a mãe e a irmã da vítima. 

Mas não serviram para concluir as investigações, que nem estão perto de acabar. Infelizmente, o alvo é uma deputada. Se não fosse, já teriam concluído — diz o advogado, antes de concluir:

— Ela se mostrava depressiva desde a morte do filho, já que era dependente dele. O quadro se agravou com a perda da filha.

Como tinha uma procuração outorgada por Maria Edna, Maximo não sabe se ainda vai defender os interesses da família do pastor Anderson do Carmo. 


Com a morte dela, o documento fica invalidado perante à Justiça, e ele vai esperar ser procurado por outro parente da vítima para saber se vai permanecer ou não no caso.

Edna visita o túmulo do filho, morto há quase quatro meses Foto: Fabiano Rocha / Agência O Globo

"Ninguém iria matá-lo sem a permissão dela"

Em entrevista ao EXTRA, em outubro de 2010, a mãe do pastor dissera que buscava uma resposta para o crime ocorrido na sua casa dele, em Pendotiba, Niterói, no dia 16 de junho.

— O sorriso dele, lindo, e o abraço forte que ele me dava. Tenho muita saudade desse abraço. Nunca mais terei isso. Que amor era esse que acabou com a vida do meu filho? 


A morte do meu filho me deixou cheia de problemas de saúde. Eu só quero uma resposta para o que aconteceu com meu menino. Só isso que quero — emocionara-se na época.

Ela afirmara ter certeza da participação de sua nora, Flordelis, no crime, e disse que a deputada vem tentando incriminar o vereador Wagner Andrade Pimenta, conhecido como Misael, um dos filhos afetivos.

Outros dois filhos da deputada - Lucas e Flávio - são réus pelo assassinato de Anderson.

— Ela (Flordelis) quer tirar o corpo fora e acusar o Misael.



Isso foi tudo armado. É triste porque o Misael ajudou demais a mãe, está com ela desde o começo. 

O menino ia lá para o Ceasa conseguir comida para as crianças da casa comerem. O Misael ajudou a tirar a mãe da lama — dissera.



Via Meia Hora

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responsivo final texto

Pages