Ex-secretário de Saúde Edmar Santos é preso no RJ - Baixada Viva Notícias

Responsivo após foto post

Ex-secretário de Saúde Edmar Santos é preso no RJ

Compartilhe



A sessão de patifaria de integrantes e ex-integrantes do Governo do Estado parece não ter fim.


O ex-secretário de Saúde do Rio Edmar Santos foi preso na manhã desta sexta-feira, dia 10, em sua casa, em Botafogo, na Zona Sul do Rio. 


O mandado de prisão foi cumprido pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (Gaecc), com apoio da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ) e da Delegacia Fazendária da Polícia Civil, em um desdobramento da Operação Mercadores do Caos. 

A Justiça determinou também o arresto de bens e valores de Edmar Santos até o valor de R$ 36.922.920, que, de acordo com o MP, é equivalente aos recursos públicos do estado desviados em três contratos fraudados para aquisição dos equipamentos médicos durante a pandemia do novo coronavírus.


Agentes também cumpriram mandado de busca e apreensão na outra casa dele em Itaipava, na Região Serrana. Todos os mandados foram expedidos pelo juiz Bruno Rulière, da 1ª Vara Criminal Especializada da Capital. 

O ex-secretário, que foi exonerado pelo governador Wilson Witzel em maio, é investigado por irregularidades na compra de respiradores e nos contratos emergenciais como os dos hospitais de campanha, durante a pandemia do coronavírus no estado.

Ele deverá prestar depoimento ainda nesta sexta na Delegacia Fazendária (Delfaz), na Cidade da Polícia, no Jacarezinho, na Zona Norte, e depois será levado para o Instituto Médico-Legal (IML), no Centro, onde fará exame de corpo de delito. 

Por ser oficial da Polícia Militar, o ex-secretário será levado para Unidade Prisional da PM, no Fonseca, em Niterói.

Segundo fontes da Polícia Civil, por ser um oficial, um outro policial militar com patente acima da de Edmar terá que comparecer à Cidade da Polícia para que o ex-secretário seja conduzido para a unidade prisional.

Santos e outras sete pessoas são acusadas pelo MPRJ de improbidade administrativa. 

O MPRJ conseguiu na Justiça uma autorização para ter acesso a todo o conteúdo armazenado nos materiais apreendidos, como celulares, computadores e pen drives, inclusive de registros de diálogos telefônicos ou telemáticos, como mensagens SMS ou de aplicativos como WhatsApp, entre outros. 

Este trabalho técnico será realizado pela Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ).


Via Extra

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responsivo final texto

Pages