Bolsonaro se reúne com Maia para discutir os valores das últimas parcelas do auxílio emergencial. R$ 600 é muito? R$ 200,00 é pouco? Saiba os detalhes - Baixada Viva Notícias

Responsivo após foto post

Bolsonaro se reúne com Maia para discutir os valores das últimas parcelas do auxílio emergencial. R$ 600 é muito? R$ 200,00 é pouco? Saiba os detalhes

Compartilhe


Foi divulgado que os integrantes do Palácio do Planalto foram informados que os parlamentares defendem a prorrogação do auxílio emergencial. 

O aviso foi dado após reunião de líderes do Senado. Eles defendem a prorrogação do auxílio em mais uma parcela de R$ 600 e as demais, de R$ 300.


O primeiro lote de pagamento do auxílio emergencial, criado para ajudar os trabalhadores mais vulneráveis, chega ao fim ainda em agosto. 

A ala política do governo travou guerra com a ala econômica, que tem comando de Paulo Guedes, para prorrogar o auxílio no valor maior.

E equipe econômica defende que não há forma de continuar pagando parcelas de R$ 600. 


Já os assessores políticos de Jair Bolsonaro (sem partido) defendem que o presidente não deve perder o apoio e aprovação que conseguiu, principalmente na região Nordeste, por causa do auxílio. O foco para ampliar o apoio ao presidente é a reeleição.

De acordo com Bolsonaro, o valor de R$600 é alto, mas R$200 é pouco. 

Dessa forma, é bem possível que os valores da prorrogação seja um meio-termo, como ele próprio falou. Especula-se, também, o valor de R$300. Mas ainda não há nada definido.

“Hoje tomei café da manhã com o [presidente da Câmara, Rodrigo] Maia (DEM-RJ), e tratamos deste assunto. 

Os R$ 600 pesa muito para a União, porque é endividamento. E se o país endivida, você perde credibilidade”, disse o presidente. 


“R$ 600 é muito, R$ 200 é pouco. Mas dá para chegar a um meio-termo e ser prorrogado por alguns meses, talvez até o final do ano de modo que consigamos sair dessa situação. Fazendo com o que os empregos voltem à normalidade”, acrescentou.

Além das cinco já aprovadas, o governo estuda a liberação de mais parcelas do benefício, porém, a medida depende de ajustes no Orçamento. 

Pagamento da 5ª parcela

O pagamento da quinta parcela do auxílio emergencial, atualmente no valor de R$600, começou a ser pago no dia 18 de agosto para os beneficiários do Bolsa Família.

Os beneficiários que se inscreveram pelo aplicativo ou site e nascidos em janeiro começam a receber a quinta parcela a partir do dia 28 de agosto.

O dinheiro é depositado em conta poupança social digital da Caixa e movimentado pelo app Caixa Tem.

O calendário de pagamento da 5ª parcela do auxílio para beneficiários do Bolsa Família segue até dia 31 de agosto. Novamente, o cronograma segue de acordo com o último dígito do Número de Identificação Social (NIS).


No dia 31 de agosto, o último do calendário, o pagamento é liberado para quem tem NIS terminado em 0.

Diferente do que acontece com beneficiários que fizeram cadastro pelo site ou app, os do Bolsa Família não precisam aguardar por um segundo cronograma para fazer saque em espécie do auxílio.

Os beneficiários que não recebem do Bolsa Família, receberão o recurso por depósito em poupança digital pelo aplicativo Caixa Tem. 

Inicialmente, o dinheiro só pode ser usado para pagamento de contas e boletos e compras por meio de cartão virtual, e só em um segundo momento o recurso é liberado para saques e transferências. 

Atualmente, o governo estuda criar mais parcelas do benefício com um valor reduzido. 

Porém, ainda não há nada concreto sobre a extensão. Apenas os cinco pagamentos estão garantidos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responsivo final texto

Pages