Auxílio Emergencial: Rodrigo Maia e Paulo Guedes batem o martelo e informam se o auxílio emergencial será prorrogado - Baixada Viva Notícias

Responsivo após foto post

Auxílio Emergencial: Rodrigo Maia e Paulo Guedes batem o martelo e informam se o auxílio emergencial será prorrogado

Compartilhe


Alento dos brasileiros em tempos de pandemia, o Auxílio Emergencial tem sido uma “válvula de escape” para milhões de beneficiários. 

O programa, no entanto, tem seu prazo final vigente até o próximo mês. 

Chegando próximo da data de encerramento do benefício, muitos rumores e expectativas crescem acerca de uma possível nova extensão.


O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que não colocará em votação, ao menos até o dia 1º de fevereiro, a proposta por uma extensão do benefício, bem como do estado de calamidade e orçamento de guerra.

A data marca justamente o seu último dia como presidente na casa. 

“Nenhum desses assuntos será pautado na Câmara até 1º de fevereiro. O governo que esqueça isso. Não haverá prorrogação da emenda constituição da guerra e não haverá, em hipótese alguma, votação de nenhuma mensagem que prorrogue o estado de calamidade”, disse Maia de forma enfática em entrevista online para o jornal Valor Econômico.


O presidente da Câmara dos Deputados ainda revelou preocupação e pessimismo sobre a falta coordenação política de Bolsonaro para a definição da agenda de reformas e medidas que visam a recuperação da economia.

Apesar do governo já enfatizar várias vezes que o programa não deve ser estendido novamente, parlamentares se movimentam no Congresso no intuito de esticar o estado de calamidade pública no país até 2021, visando uma nova prorrogação do benefício.

Esta postura tem deixado milhares de brasileiros na expectativa de que o benefício continue no próximo ano, até que a economia do país recupere fôlego. 

Apesar deste cenário, o ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a falar sobre o assunto em um evento para jornalistas, e deixou bem claro que não há chances de uma nova extensão do programa em mais uma oportunidade.

“O plano de auxílio e o estado de calamidade se encerram em dezembro. Não há prorrogação da calamidade. Essa articulação pela prorrogação do auxílio não existe. O ministro descredencia qualquer informação nesse sentido”, disse o ministro Paulo Guedes. 

Ainda no evento, Guedes optou por não falar sobre o Renda Cidadã, o novo programa social que o governo federal pretende lançar em substituição ao Bolsa Família. 

A definição de lançamento de programa, bem como de onde virá o dinheiro para financiar o programa, só será feita após o período eleitoral.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responsivo final texto

Pages