Nova febre, ‘Melzinho do amor’, estimulante vendido em bailes funks e utilizado por famosos entra na mira da Anvisa e da polícia - Baixada Viva Notícias

Responsivo após foto post

Nova febre, ‘Melzinho do amor’, estimulante vendido em bailes funks e utilizado por famosos entra na mira da Anvisa e da polícia

Compartilhe


Vendido como um produto 100% natural, um estimulante sexual popularmente conhecido como "Melzinho do amor" virou moda no Brasil nos últimos meses, principalmente entre os jovens, sendo citado em letras de funk e por famosos como o ex-jogador Vampeta. 



Na internet, são inúmeros os sites de venda que oferecem o produto, além de páginas nas redes sociais criadas para promover sua comercialização.


Apesar de ter virado febre, o estimulante pode não ser tão inofensivo para a saúde quanto aparenta. 



Há dúvidas em relação aos seus verdadeiros componentes e o mel não possui autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para ser vendido no Brasil. 


Além disso, quem comercializa o produto está cometendo crime. Na sexta-feira, um homem foi preso pela 12ª DP (Copacabana) vendendo o “melzinho”.

migd


Na internet, famosos já fizeram propaganda do mel, que virou moda principalmente no universo do funk. 


O ex-jogador Vampeta, durante transmissão ao vivo, ensinou como usar o produto. 


Já Sérgio Mallandro apareceu com uma embalagem na mão na gravação de seu podcast. 




O funkeiro MC Kevin, que morreu ao cair de um hotel no Rio, também já tinha admitido o uso do estimulante. O mel ainda virou música criada por outro MC, o Di Magrinho.


Apesar da popularidade, o produto não possui autorização da Anvisa. Segundo a agência, em razão da divulgação atribuindo ao melzinho propriedades terapêuticas, principalmente com atuação como estimulante sexual, seria necessário que a permissão fosse para a venda de medicamentos. 




A Anvisa diz ainda que não há clareza sobre os ingredientes do produto, apesar de as embalagens anunciarem que ele contém apenas mel e extratos naturais.









Via Extra






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responsivo final texto

Pages